As agências e as suas estratégias de actuação para 2024 (parte II)

Targeting
Targeting 8 de Janeiro, 2024

Com o novo ano a todo o vapor, as empresas procuram planear (ou já têm planeadas) as acções para o mesmo. Decisões estratégicas e questões operacionais são levadas em conta em vários segmentos e, naturalmente, as empresas dos sectores da comunicação, marketing e publicidade não ficam alheias a estas abordagens. 

Apesar da existência de factores de várias ordens (económica, social, política…) que podem atrapalhar o sucesso das acções empresariais, desde cedo que estas mesmas empresas perceberam que planear é a forma mais segura de garantir uma execução que garanta o mínimo de viabilidade. O cenário é mais incerto quando questões de ordem económica afectam as várias indústrias, reduzindo a capacidade de investimento dos principais clientes e, que por fim, afectam o crescimento dos sectores em muitos aspectos.

Com o objectivo de compreender como as empresas do sector definem as suas estratégias de actuação para 2024, o TARGETING abordou os executivos de algumas das principais agências, estúdios ou produtoras de comunicação, marketing, publicidade do mercado nacional que prontamente responderam às questões abaixo:

LER TAMBÉM: As agências e as suas estratégias de actuação para 2024 (I)

Carolina Freitas, Sócia Fundadora da Authentic


Quais áreas ou serviços a vossa agência entende serem importantes para o negócio e que consequentemente merecerão mais atenção em 2024?

Todos os nossos serviços são importantes e têm o seu peso no volume de facturação que justifica toda a atenção. Não temos previsto estrategicamente mudar as nossas áreas de negócio, que são 4 e que se manterão as mesmas – Marketing de Influência, Produção de Eventos, Redes Sociais e Conteúdos Digitais e RP & Assessoria de Imprensa. Todas as áreas da Authentic se complementam entre si de forma directa ou indirecta e no nosso universo de clientes.

Qual será a estratégia de contratação e de retenção do capital humano? Estará relacionada com as áreas em que a vossa agência pretende investir mais neste ano?

O ano de maior crescimento ao nível de capital humano na Authentic foi o ano de 2021. Começámos o ano com 4 colaboradores e chegámos ao final do ano com 11 colaboradores. Já passámos pelas dores de crescimento. À data de hoje somos uma equipa composta por 18 pessoas. Sendo uma empresa que está a completar 4 anos, temos uma taxa muito pouco significativa de rotatividade de recursos humanos. A nossa estratégia passa fundamentalmente por reconhecer gradual mas periodicamente a evolução de cada colaborador, da mesma forma que cada um está totalmente envolvido na operação da empresa e conhece os objectivos comuns. Somos apologistas de que as pessoas devem permanecer connosco enquanto forem felizes e isso faz parte dos valores e cultura da Authentic.

Como a agência se prepara para enfrentar um ano que pode continuar a trazer algum abrandar na capacidade de investimento dos clientes?

2023 foi um ano muito desafiante, principalmente o segundo semestre. Não notámos propriamente uma quebra no volume de negócio mas a inflação fez-nos reduzir investimentos previstos, onde os custos calculados deixaram de ser reais. Tivemos alguns sonhos adiados mas tudo o que é real e palpável do ponto de vista do negócio, equipa, projectos e desafios, mantivemos o optimismo. Para 2024, pretendemos sedimentar a operação como a conhecemos hoje, lutar para manter a estrutura da equipa actual e, caso o mercado melhore, investir para crescer. Não há fórmulas para o imprevisível, temos que saber agir a cada momento.

Na vossa visão, quais serão as grandes mudanças que podem impactar directamente o sector em 2024 e não só?

Acreditamos que os conteúdos continuarão a ser uma aposta forte das marcas em 2024. Por outro lado, em todas as crises, existe um desinvestimento em algumas áreas e as empresas voltam a “olhar para dentro”, acumulando alguns serviços que com o mercado maduro são subcontratados e permite que o sector seja mais dinâmico. Na nossa opinião, a área de Gestão de Redes Sociais irá desacelerar em 2024.

Janaína Carneiro, Regional Lead Simply Black Midia

Quais áreas ou serviços a vossa agência entende serem importantes para o negócio e que consequentemente merecerão mais atenção em 2024?

Em 2024 o nosso foco continuará nas áreas que impulsionarão o sucesso dos nossos clientes, alinhadas à inovação e ao aprimoramento dos nossos serviços, capacitando-nos para atender às demandas em constante evolução de um mercado que está a apanhar o balanço para voltar a crescer.

Qual será a estratégia de contratação e de retenção do capital humano? Estará relacionada com as áreas em que a vossa agência pretende investir mais em 2024?

A estratégia de contratação e retenção de talentos é sempre um pilar fundamental para o nosso sucesso, costumamos dizer em tom de brincadeira que nós não fazemos recrutamento, fazemos castings para garantir que temos as pessoas certas nas funções correctas e diminuir o double hating ou o famoso “faz tudo”.

Continuaremos a alinhar as novas contratações às necessidades do mercado e dos nossos clientes, continuaremos a garantir formação e oportunidades aos nossos colaboradores, garantindo sempre que a nossa equipa seja uma extensão dos nossos valores e visão e que entregamos além das expectativas.

Como a agência se prepara para enfrentar um ano que pode continuar a trazer algum abrandar na capacidade de investimento dos clientes?

Num cenário de possíveis desafios económicos, temos que ser ágeis e flexíveis, oferecendo soluções adaptáveis e ajustando os nossos modelos de negócios para atender às necessidades dos clientes. Independentemente das restrições orçamentais, tem de haver sempre uma forma mais arrojada de fazer acontecer.

Na vossa visão, quais serão as grandes mudanças que podem impactar directamente o sector em 2024 e não só?

A visão para 2024 inclui uma atenção especial à sustentabilidade, tecnologias emergentes e mudanças no mercado. Acreditamos que a atenção ao que se passa e incorporação destas tendências ao nosso sector será fundamental para mantermos nossa posição na linha da frente em qualquer indústria.

António Páscoa, PCA Isenta Comunicação

Quais áreas ou serviços a vossa agência entende serem importantes para o negócio e que consequentemente merecerão mais atenção em 2024?

Na Isenta Comunicação estamos empenhados em adaptar-nos continuamente às tendências de mercado e às necessidades emergentes dos nossos clientes. Em 2024 vamos intensificar a nossa actuação na Comunicação Digital e Redes Sociais, conscientes da importância de uma presença forte e eficaz nestas plataformas. Estamos dedicados a criar conteúdos cada vez mais cativantes e a gerir comunidades online, garantindo que os nossos clientes se destaquem positivamente neste espaço cada vez mais dinâmico. A monitorização e análise de dados é também um pilar central da nossa estratégia, e com a adopção de tecnologias avançadas, incluindo inteligência artificial, pretendemos oferecer análises mais profundas e insights estratégicos.

A Gestão de Crises vai continuar a receber atenção especial entre os nossos serviços para oferecer suporte especializado e uma resposta rápida em situações adversas. Além disso, as áreas de Advocacia Pública e Relações Governamentais, bem como Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa (RSC), serão também enfatizadas. Estamos atentos à crescente importância destas áreas em Angola e oferecemos consultoria especializada, no intuito de ajudar os nossos clientes a desenvolverem e comunicarem suas iniciativas de forma proveitosa e eficaz.

Qual será a estratégia de contratação e de retenção do capital humano? Estará relacionada com as áreas em que a vossa agência pretende investir mais em 2024?

A nossa estratégia de contratação e retenção de capital humano está intrinsecamente ligada às áreas onde pretendemos investir mais, refletindo o nosso compromisso com a excelência e inovação. Conscientes de que o sucesso da nossa agência depende da qualidade e satisfação dos nossos colaboradores, o foco será manter salários justos e competitivos, alinhados com as melhores práticas do mercado. A capacitação contínua deve ser um pilar central de qualquer empresa, é necessário investir em programas de formação que não só aprimorem as habilidades técnicas dos nossos colaboradores, mas também os preparem para as dinâmicas do mercado, especialmente em áreas como as TICs, análise de dados e comunicação estratégica.

A responsabilização das equipas e a promoção de uma cultura colaborativa e de partilha de ideias são também fundamentais. Incentivamos os nossos colaboradores a envolverem-se em projectos inovadores e desafiadores, promovendo um ambiente de trabalho mais engajado e produtivo. Além disso, reconhecemos a importância de um ambiente de trabalho que promova o bem-estar e o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, implementando iniciativas de bem-estar e flexibilidade de horários.

Como a agência se prepara para enfrentar um ano que pode continuar a trazer algum abrandar na capacidade de investimento dos clientes?

Face ao potencial abrandamento na capacidade de investimento do mercado, que não é novo… temos vindo a adoptar uma abordagem estratégica centrada na retenção de clientes e na oferta de um serviço de excelência. Compreendemos a importância de construir relações duradouras, adaptando os nossos serviços às necessidades em evolução dos clientes e da própria dinâmica dos seus mercados, por esta razão, a flexibilidade e a inovação são essenciais. Focamo-nos na entrega de resultados tangíveis e mensuráveis, fruto de estratégias que produzam impactos claros para o cliente.

Na vossa visão, quais serão as grandes mudanças que podem impactar directamente o sector em 2024 e não só?

Enfrentamos várias mudanças significativas que estão a moldar o futuro do nosso sector, tanto em Angola como a nível global. A evolução digital e o papel crescente das redes sociais na comunicação exigem uma adaptação constante. A Inteligência Artificial e a análise de big data estão a tornar-se ferramentas cruciais, permitindo uma personalização e precisão nas campanhas. A sustentabilidade e a responsabilidade social corporativa estão a ganhar mais relevância e as empresas terão de comunicar suas iniciativas de forma transparente e autêntica. A demanda por maior transparência e ética nas práticas empresariais e de comunicação continua a crescer, assim como a necessidade de compreender e navegar por diversas culturas e mercados no contexto de uma globalização crescente.

Antecipamos também mudanças na legislação e regulação relacionadas à privacidade de dados, publicidade e comunicação digital. Por fim, com a evolução no consumo de mídia, as empresas terão de reavaliar constantemente onde e como alcançam seus públicos-alvo. Estas mudanças representam desafios e oportunidades emocionantes, e estar à frente destas tendências será essencial para o nosso sucesso contínuo.

No nosso mercado podemos constatar um governo focado no desenvolvimento de diversas áreas como a indústria, a logística e o turismo, movimentos estes que vão criar novas oportunidades para o nosso sector. Políticas de protecionismo e incentivo à produção nacional poderão levar ao surgimento de novas marcas e empresas angolanas, exigindo comunicação estratégica eficaz. Também acreditamos que a tendência da grande demanda por campanhas de comunicação em áreas prioritárias como saúde pública, educação e cidadania vai continuar.

Com Angola a assumir uma posição de força no cenário regional e internacional, pode surgir a oportunidade de trabalhar a imagem do país e das suas marcas nos mercados externos. Estamos atentos à diminuição do poder de compra dos angolanos que tanto pode levar a um decréscimo no investimento em comunicação por parte de algumas marcas, como poderá intensificar a competição pela preferência do consumidor. Sem dúvida que estas mudanças representam desafios e oportunidades significativas para o sector da comunicação. A capacidade de adaptação e resposta rápida será crucial para o sucesso contínuo da Isenta Comunicação, estamos preparados para aproveitar estas oportunidades, ajudando os nossos clientes a navegar em 2024 e a atingir os seus objectivos de comunicação e reputação com sucesso.

Experimente o Dark Mode. Clique no botão do canto superior direito, junto à barra de pesquisa.

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *