A importância do “não” na construção de uma marca de sucesso

Targeting
Targeting 28 de Fevereiro, 2023

Frequentemente os empreendedores encontram-se em situações em que devem tomar decisões difíceis para o crescimento das suas empresas. No entanto, um dos principais desafios que enfrentam é ter de dizer “NÃO”. Embora possa parecer contra-intuitivo, dar respostas negativas a certas “oportunidades” pode ter resultados positivos na construção de uma marca ou produto de sucesso.

 

O medo do fracasso, a busca por dinheiro e a pressão social são algumas das razões que levam muitos empreendedores a aceitarem propostas, mesmo que isso possa prejudicar a empresa. Dizer “não” pode ser difícil, mas muitas vezes é a escolha mais inteligente a se fazer.

 

Dizer “não” pode ser especialmente importante para os empreendedores em Angola, onde a competição tem sido acirrada nos sectores já consolidados, onde os oligopólios estão estabelecidos e as janelas de oportunidades abrem apenas por alguns segundos e para poucos. Muitas empresas tentam fazer de tudo para atrair e manter clientes, oferecendo uma ampla gama de produtos e serviços, mas, na realidade, essa abordagem pode ser prejudicial para a construção de uma marca forte e duradoura.

 

A chave para construir uma marca de sucesso é focar naquilo que a torna única e valiosa para os seus clientes. Ao se concentrar nas suas habilidades centrais e nas suas áreas de especialização, os empreendedores podem posicionar as suas marcas de maneira mais eficaz e diferenciá-las dos seus concorrentes. Dizer “não” a oportunidades que não se encaixam nessa visão é essencial para manter o foco e alcançar o sucesso.

 

Um exemplo de uma empresa que abraçou essa abordagem é a marca de moda africana Kente Gentleman. Ao invés de oferecer uma ampla variedade de roupas, a empresa concentra-se em criar camisas sofisticadas e de alta qualidade com tecidos africanos autênticos. Essa abordagem de nicho permitiu que a marca se destacasse no mercado de moda e conquistasse clientes fiéis em todo o mundo.

 

Outro exemplo que considero em vias de estabelecimento é a marca angolana Sócia que resistiu a tentação de tornar-se num Market Place ou de ser vendida à uma rede de supermecados. Isso pode eventualmente atrasar o processo de expansão, fazer com que a empresa cresça mais lentamente, mas essa abordagem permite que a marca torne-se conhecida pela sua concepção original e pela sua singularidade. Vamos ver no que dá.

 

Dizer “não” também pode ajudar a proteger a integridade e os valores da marca. Por exemplo, se um empreendedor é abordado com uma oportunidade financeiramente atraente, mas que compromete a ética da empresa, é importante dizer “não” para manter a integridade da marca e a confiança do cliente.

 

O notável empreendedor que teve que dizer “não” a uma proposta tentadora é o empresário nigeriano Aliko Dangote. Em 2016, o homem mais rico de África recusou uma oferta de compra da sua empresa de cimento, a Dangote Cement, no valor de US$ 2,5 bilhões. A oferta foi feita pela multinacional francesa LafargeHolcim, mas Dangote decidiu que a empresa valia muito mais do que isso e rejeitou a proposta. A decisão de Dangote foi corajosa, mas também inteligente. Pouco tempo depois, a Dangote Cement passou a ser a maior empresa de cimento de África, com valor de mercado estimado em US$ 24 bilhões. A recusa de Dangote foi uma lição para muitos empreendedores africanos que muitas vezes aceitam propostas baixas por medo de perder a chance de vender a empresa.

 

Dizer “não” pode trazer várias vantagens para os empreendedores, incluindo o aumento da produtividade e eficiência, a redução do estresse, a melhoria do foco e clareza de objetivos. Ao dizer “não” para projectos ou tarefas que não se alinham com a visão ou objectivos de negócios, os empreendedores podem direccionar melhor os seus recursos e esforços para as actividades mais importantes e lucrativas.

 

O Outro lado da moeda

 

No entanto, dizer “não” pode ser mal interpretado por algumas pessoas e pode prejudicar as relacções pessoais fora do contexto profissional. Amigos e familiares podem sentir-se rejeitados ou ignorados quando um empreendedor diz “não” a eventos ou convites sociais, o que pode levar a conflitos e tensões desnecessárias. Por isso, é importante que os empreendedores comuniquem claramente as suas razões e objectivos quando dizem “não” e que mantenham um equilíbrio saudável entre o trabalho e a vida pessoal.

 

Dizer “não” pode trazer resultados positivos para um negócio. Pode ser um grande desafio, mas a capacidade de dizer “não” pode ser uma das ferramentas mais poderosas de um empreendedor. Ao dizer “não”, um empreendedor pode definir os seus limites e estabelecer a sua identidade empresarial. Além disso, pode indicar uma capacidade de pensar a longo prazo e resistir à tentação de um ganho imediato sem considerar o impacto que isso pode ter no futuro da empresa.

 

Por fim, um empreendedor que sabe dizer “não” pode manter o respeito dos seus funcionários e colegas. Pode ser difícil rejeitar uma proposta de alguém que você conheça e com quem trabalha, mas, em muitos casos é a escolha certa. Quando um empreendedor é respeitado, ele tem mais chances de manter a sua rede de contactos, a sua imagem pública e, consequentemente, o seu negócio.

 

Em conclusão, dizer “não” pode ser difícil para os empreendedores, mas é essencial para construir marcas de sucesso. Concentrar-se nas habilidades centrais e nas áreas de especialização, manter a integridade, os valores da empresa e evitar diluir a mensagem da marca são todas as formas em que dizer “não” pode ajudar a alcançar o sucesso empreendedor.

Nuno Baio
Nuno Baio
Director Geral da Kubeta
TAGS:
Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *