Já se pode ver “digitalmente” todo o acervo cultural angolano pelo e-Zomba

Targeting
Targeting

Foi lançado na última quarta-feira, 29 de Março, nas instalações da Fundação Arte e Cultura, o projecto de implementação do Acervo Cultural Digital e-Zomba, uma parceria entre o Ministério da Cultura e Turismo e a Fundação Arte e Cultura (FAC), com vista a promoção e disponibilização da cultura angolana a nível nacional e global.

No e-Zomba será possível encontrar diferentes colecções musicais de todas as épocas, colecções de arte, registos de danças folclóricas de todos os tipos que caracterizam Angola, registos de peças teatrais e espectáculos de teatro.

“Preservação do passado, acessibilidade no presente e promoção da pesquisa no futuro” é o desígnio do e-Zomba, um projecto adaptado à tecnologia avançada dos dias de hoje, que vai não só expor a cultura angolana a todo o mundo, como tornar as culturas ancestrais e novas acessíveis ao público em geral.

Este projecto destina-se a chamar a atenção e a encorajar a exposição e a interacção entre investigadores, estudantes, historiadores, músicos, artistas e o público em geral, assim como, mostrar como a arte e cultura deste país são realmente maravilhosas, coloridas e interessantes.”

Haim Taib, Fundador e Presidente da Fundação Menomadin

Pertencente à Fundação Menomadin, e fundada em 2006 por Haim Taib, além de promover e divulgar a arte e cultura angolana, a Fundação Arte e Cultura está vocacionada para a inserção social de crianças, adolescentes, jovens e mulheres em situação de vulnerabilidade, através das artes.

Segundo o Ministro da Cultura, Filipe Silvino de Pina Zau, “este projecto desenvolvido pela Fundação Arte e Cultura, interage com aspectos da nossa cultura, com o resgate dos nossos valores. Esta sempre foi uma preocupação que tivemos, pois quando falamos em resgate falamos em identidade. Estamos a preservar algo no sentido de pertença cultural de um país que é multicultural, contudo é na diversidade que vamos encontrar aprendizagem para a nossa unidade, respeito entre tradição e modernidade e, respeito entre ancestralidade e visão futura.”

Para Naama Margalit, directora geral da FAC, “o e-Zomba é a oportunidade para preservar digitalmente os tesouros culturais de Angola em benefício da próxima geração, assim como preservar a honra dos criadores e dar uma oportunidade para o mundo inteiro desfrutar desta rica cultura.”

Por sua vez, Merav Galili, CEO da Menomadin Foundation, destaca que “este projecto é extremamente importante, porque vai digitalizar todos os activos da cultura angolana, desde música, esculturas, pintura e arte. A partir de agora, tudo estará online, e pessoas de todo mundo poderão finalmente ter acesso à maravilhosa cultura angolana.”
 
O momento também serviu para a apresentação pública da nova identidade da Fundação Arte e Cultura, um rebranding que assinala as conquistas do passado, e representa sobretudo um novo tempo de maior compromisso e empenho para com as causas de responsabilidade social e de cidadania.

Redacção: ola@targeting.ao

Compartilhe este artigo
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *